BlogNovidades

Você sente que as campanhas publicitárias te representam?

 

Falar de diversidade hoje em dia é essencial. A cada dia, mais pessoas querem se sentir representadas, seja na publicidade, dentro das empresas ou em espaços que frequentam.

Mas, de acordo com uma pesquisa da Qualibest, pouquíssimas marcas que atuam no Brasil prestam atenção na diversidade ou conseguem trabalhar essa questão de forma adequada.

A pesquisa aponta que apenas 24% das pessoas entrevistadas afirmaram conhecer alguma marca que trabalha a diversidade de verdade. Alguns exemplos citados foram: O Boticário, Natura, Avon e Salon Line.

Além de serem do segmento da beleza, outro ponto interessante sobre essas empresas é que a maioria tem um setor de diversidade interno ou uma equipe interna plural, seja em características físicas ou em experiência.

Conheça alguns projetos representativos dessas marcas:

Avon

O Boticário

Natura

Salon Line

Ações pontuais

A Consultoria Mais Diversidade também fez uma pesquisa a respeito do cenário de diversidade e inclusão nas empresas brasileiras. A pesquisa apontou que 65% das organizações não têm uma estratégia planejada ou concreta de diversidade e inclusão. Essas empresas realizam ações pontuais, sem ligação com algum dos valores da marca e que geralmente ficam sob a responsabilidade da área de RH.

Dentro da pauta diversidade, a pesquisa apontou que 33% das empresas veem a questão racial como o maior desafio para esse ano. Elas afirmam que os movimentos antirracistas que estão acontecendo em todo o mundo chamaram a atenção das empresas para a criação de ações mais afirmativas, porém a prática ainda é desafiadora.

O estudo também apontou que 60% das empresas chegam a se preocupar e montar grupos por afinidades, de profissionais negros, LGBTQIA+ e pessoas com deficiência, por exemplo. Mas, não existe uma estrutura para sustentar os programas desses grupos e direcionar suas atividades.

Voltando à pesquisa da Qualibest, apenas 3% dos entrevistados admitiram se sentir totalmente representados pela publicidade das marcas e 57% se sentem pouco ou nada representados.

Como vemos, as empresas conhecem a importância de abordar a diversidade tanto de maneira interna como externa, mas continuam caminhando a passos lentos. Já os consumidores se mostram descontentes com a falta de representatividade.

 

#AbaixoPL504

Outro ponto importante para abordarmos, principalmente quando o assunto é diversidade na publicidade, é o PL 504.

Esse projeto de lei que tramita em regime de urgência na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo proíbe mensagens publicitárias com “alusão a gênero e orientação sexual, ou a movimentos sobre diversidade sexual relacionados a crianças”.

A deputada estadual Marta Costa, autora do PL, diz que “o uso indiscriminado deste tipo de divulgação traria real desconforto emocional a inúmeras famílias”. Ela também afirma que a lei seria necessária para evitar a má influência da publicidade na formação de jovens e crianças.

Infelizmente, no Espírito Santo também temos um Projeto de Lei (PL 160/21) que basicamente é uma cópia ao PL 504, no momento, ele se encontra na Assembleia do Estado.

Como mostram os dados apresentados nessa matéria, esses projetos de lei vai contra a representação da diversidade, cada dia mais necessária para os brasileiros.

Várias agências de publicidade e marcas do Brasil se posicionaram contra nas redes sociais. Nós também. Além de repudiar projetos como esse PL, temos uma equipe diversa e buscamos sempre representar a todes nas peças dos nossos clientes.

Esperamos que o projeto não seja aprovado. Mesmo que o impacto seja diretamente em São Paulo, ele é um retrocesso para a publicidade em âmbito nacional.

E você, o que acha disso tudo?

Chuva Comunicação Viva.